A História que a História não conta

Nesse vídeo graduandos de História se propõem a analisar e comentar o desfile da escola de samba Estação Primeira de Mangueira de 2019. 

Com um enredo que possui o título “História pra ninar gente grande”, a escola de samba leva para avenida uma crítica à história oficial do país, que ao longo de grande parte da sua trajetória, constrói narrativas que destacam heróis brancos e europeus, além de  marginalizar agentes que não pertencem a este estereótipo. 

Nesse sentido, a partir de revisões historiográficas, a representação da escola coloca em cena o que seriam os verdadeiros heróis nacionais, como povos originários, negros escravizados e mulheres. Por outro lado, o enredo coloca em cheque figuras nacionais consolidadas, como políticos, barões escravagistas, lideres religiosos e agentes responsáveis por grandes feitos que constam na retórica oficial da história do país.  Além disso, o samba provoca uma reflexão emblemática ao cantar “a história que a história não conta”, posicionando-se de forma crítica ao ofício do historiador. 

Nesse contexto, os estudantes de História se colocam como comentaristas do desfile, se debruçando sobre as questões históricas abordadas, trazendo uma visão crítica acerca de elementos chave, com a finalidade de evidenciar contrapontos do discurso reproduzido pela escola de samba.

Assista abaixo!


Explica essa História? é um canal criado por graduandos que buscam analisar onde e como a História aparece nos vídeos públicos, séries e filmes. A partir disso, refletir sobre qual narrativa chega e permeia o senso comum, e como existem diversas interpretações para um mesmo fato.


Clique na imagem para acessar a loja virtual da Bodoque!


Galeria

Apoie pautas identitárias. Em tempos de cólera, amar é um ato revolucionário.

Anúncios

Deixe uma resposta